sexta-feira, 11 de maio de 2012

Oásis tropical: Um jardim não vive apenas de flores. Aqui mostramos uma casa em que o charme fica por conta dos diferentes tons de verde


Pedro Abude
O espelho-d’água composto de seixos e papiros
O colorido das flores encanta qualquer um, mas essa não é a única receita para conquistar um jardim de impacto. O grande destaque deste projeto em Piracicaba, no interior de São Paulo, é o desenho criado com diferentes tons de verde, que aparece até no acabamento da piscina. O clima tropical proposto pelo paisagista Gil Fialho foi um pedido dos moradores, acostumados a terem a natureza sempre por perto. Ela é engenheira florestal. E ele, agrônomo. Para os amantes do estilo, Gil ensina. “Os jardins tropicais apresentam algumas características básicas. O ideal é ter um espelho-d’água, palmeiras, helicônias, alpínias e bananeiras ornamentais. Arbustos que atraem beija-flores e borboletas, como triális e ondontonema, também devem ser usados”, diz. Segundo ele, esse tipo de jardim requer uma metragem mínima de 40 m². Para compor os quase mil metros quadrados do terreno, Gil utilizou ainda mais elementos. Os papiros enfeitam o espelhod’água e dão mais privacidade à sala de estar. Na lateral da piscina tipo raia, há cinco palmeiras arecas-de-locuba, com moreias na base plantadas em sequência. As alpínias, também mencionadas por Gil, foram usadas em toda a fachada do terreno. “Eles queriam uma espécie de planta que fechasse bem, impedindo a visão de quem passa na rua. A alpínia cresce rápido e desempenha com eficiência a função de proteção”, diz.

O caminho traçado com pedriscos leva à área da churrasqueira. Quem se senta à mesa vê um bonito quadro composto de ciclantos, costelas-de-adão e marantas variegadas sobre o muro baixo de pedra. Ao lado, a bela-emília esconde o muro e se encosta em uma pitangueira. Construído em frente à piscina, um anexo abriga a sauna, a academia e uma sala de brinquedos para as filhas do casal. Jasmins-da-índia tomam conta da fachada e de uma das laterais do anexo. A outra, que não recebe tanta luz, é composta de uma cheirosa dama-da-noite, duas dracenas arbóreas e uma recheada forração de singônios.

Pedro Abude
O espelho-d’água segue em linha com a piscina. Palmeiras arecas-de-locuba com moreias na base criam a mesma regularidade na borda. Ao fundo, alpínias escondem o muro da casa. Atrás, três ipês brancos
Pedro Abude
A forração de singônio desenha uma das laterais do anexo. A dama-da-noite fica entre duas dracenas arbóreas. Ao lado, uma palmeira azul
Pedro Abude
Na lateral oposta, jasmim-da-índia e forração de asistásia. Os pedriscos delimitam o caminho criado na grama esmeralda. No fundo, pitangueira e bela-emília
Pedro Abude
Sobre o muro de pedra, ciclantos, costelas - de- adão e marantas variegadas formam um bonito quadro verde em frente à mesa

Fonte: Casa e Jardim

2 comentários:

  1. Parabéns pela estrutura e conteúdo de seu blog, forte abraço, Renato artesanato em mdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Renato. Esperamos que vocês tenham gostado das matérias que postamos.

      Excluir